Impermanente.

Deixe como está. Esqueça do tempo. Não mande notícias nem diga por onde andas. Muito menos queria saber por onde anda alguém. Fique na sua. Fale pouco. Somente o necessário. Mas quando o fizer, deixe sempre um fiozinho escapando, pedindo pra ser puxado. Mas nunca diga isso claramente. Seja um imã. Atraia.

Respire fundo. Conte até cem se precisar. É melhor assim. Deixe o let-go te absorver. Fique quieta, fique calma. Esqueça o telefone. Esqueça os emails. Esqueça principalmente os impulsos. Deixe os instintos pro encontro, quando este vier. Seja racional.

Enquanto isso cante, corra pelas ruas depois da chuva. Veja aquele filme que espera a duas semanas. Olhe-se no espelho. Perceba-se. Medite. Escreva pra Londres ou pra longe, não importa. Faça apenas praquele que quer receber.

Mesmo assim pode ainda sentir desejo. Sinta-se mais desejada, menos desejosa. Sinta-se por inteiro. Saiba primeiro quem você é. Depois pesquise-se nos outros. Deixe que estes transpareçam cada pedaço de você espalhado no mundo. Cada suavidade percebida. Cada lasca de vida.

Pois tudo é assim mesmo. Aprender a jogar é necessário. Porém, o bom mesmo é não permanecer.

Anúncios

3 Respostas para “Impermanente.

  1. Acho que escrevi ações que desejaria fazer naquele momento. E o fiz. Foi interessante. Parece uma receitinha de bem estar. Mas não deixa de ser e funciona! Esse tal de let-go é uma expressão que eu li no livro do Osho. Significa o deixar acontecer, deixar fluir. É bem zen e eu guardei isso comigo.

  2. É… contemplando a impermanência!
    Let it be…
    É tão difícil conter os impulsos quando a gente sente uma sede inexplicável. Mas os momentos em que conseguimos nos ouvir, acho que são muito especiais… momentos de presença, como falamos outro dia… Estar presente, corpo, alma e mente na dádiva do agora. Talvez (acho que sim) seja uma questão de prática, treino, tentativas, tibum-pá…

  3. Sim, identifiquei bem com o que vc tá vivendo… Especialmente na parte de escrever pra Londres!! rsrsrsrs!! Esse texto me trouxe muito claro o seguinte: somos seres extremamente ansiosos e essa nossa ansiedade é resultante, muitas vezes, da nossa falta de confiança no fluir do universo… É um onipotência nossa de não aceitar e não se entregar para o fluir das coisas. ôoo racinha arrogante que somos eim?? Querer ter controle de tudo, duvidar da capacidade administrativa desse universo perfeito, sincrônico e encadeado!!! Como dizia uma música que gostava muito na adolescência e que tem a ver com o que foi dito no texto: LET IT FLOW! Deixa rolar galeraaaa… Deixar fluir…..

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s