Um outro post pra falar de amor.

Lembro de quando vivia aos catorze anos e falava àquela amiga da época, o quanto gostava dele de verdade, o quanto tudo que aconteceu era real e de tudo que estava sentindo…

“- E teus olhos brilham quando você fala dele…”

E hoje o passado volta como se nunca e ao mesmo tempo sempre já houvesse vivido essa mesma história, com esse mesmo amor, só mudando de protagonista (no caso, ele); mas ainda sendo os mesmos sentimentos.

Durante alguns anos da minha vida ouvi que eu era uma pessoa inconseqüente demais, que agia sem pensar. E por isso, havia de ser mais racional, buscando pensar antes de agir. Mas era também cheia de emoção e sentimento…

No presente, continuo a ser sentimento com muita profundidade mas agora sem muitas lágrimas. Não como os prantos de antes. Finalmente aprendi a ser racional mas  a conseqüência agora foi a de racionalizar tudo. Principalmente as emoções.

Agora peco por pensar demais, por elevar demais esse meu raciocínio louco que me faz querer entender tudo. Deixo que ele se estenda ao máximo e até onde ele pode me levar. E boicoto todos os sentimentos e a espontaneidade que tanto prezo.

Cérebro não atinge coração

Coração não atinge cérebro

Porque um fui feito pra atingir o outro e a mim também. No meu mundo eles funcionam juntos. E me fazem viva.

E agora eu tô aqui atingida… e melindrosa. A ponto de buscar o caminho de volta, o sentido reverso… Tentar pensar menos, esvaziar mais e assim tentar aprender a amar.

(Cadê o manual, Manoel?)

Anúncios

7 Respostas para “Um outro post pra falar de amor.

  1. Talvez o bom seja a falta de manuel. E (sometimes) até de Manoel. Manoéis. Sem anéis, laços ou qualquer coisa que nos amarre, segura, estanque.
    Deixa que o pensamento flua é muito importante.
    Não esquecer o que aprendemos também
    Eu compreendo tanto esse teu não saber parar de pensar e pedir pausa. Só porque ele é meu também.
    Mas quando a gente se desespera, o foco vai pro abismo e toda a natureza do REDOR fica escura, como se não existisse. Sem forma já que não há luz.
    Então eu lembro que das vezes que consegui me libertar temporariamente do sentimento que me desesperava foi saindo um pouco do óbvio, do continuar agindo, reagindo e ficar quieta, pronta pra receber.
    Silêncio, quietude, espera.
    Mas no fim, já disse Caio: “Não há nada a ser esperado. Nem desesperado.”
    Um beijo, com amor…. ;*

  2. Aprendi um método de mudança: consiste em tirarmos nosso foco de anteção do problema. ao invés de pensarmos masturbatóriamente sobre “como mudar isso?”, eu simplismente me conscientizo de que quero mudar tal coisa, aí eu paro de pensar, eu vou viver, transar, beijar, comer, dormir, e poensar em muitsa coisas coisas, menos nisso… Não garanto a eficácia, mas costuma dar mais certo do que a obsessividade disfarçada e repeittiva de refletir demais sobre a mesma coisa. Deixa eu voltar aqui que a realidade da metodologia científica me chama!

  3. opaaaaaaaaa, calma galera.. eu não acho que atenção tem um N onde não devia, foi um erro de´cálculo… Pulem isso. Já “poensar” pode ser uma mistura de poesia com pensar, ou uma forma poética de pensar, ou uma forma de pensar poesia. A repetião de coisa, coisa, foi mera ecolalia cerebral!

  4. ahhhhhhhhhh, repetião??? Chegaaaa!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  5. vamos aprender a digitar minha amiga arellah!

  6. IUAHIUAHIUAHUAIHAIUHAIUHAIHAHU!!!

    eu não digo nada. os R’s estão fugindo de mim. Dá pa pecebe?

  7. eu estava na aula galeraaaaaaaaaaaaaaaaa
    digitando com um olho no peixe e outro na professoraaaaaaaaaaa
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s